Todos os posts de Luana Herek

“THE GIRL AND THE MAGIC FOUNTAIN” – ebook

Ebook em inglês

is a sensitive and delicate book that contemplates interpersonal relationships. It is a children’s story, and yet one that will delight any adult who happens to read it, accompanied or not by a child.

As the story unfolds, Mimi, an 8-year-old girl who is afflicted by not-so-easy friendships at school, meets a fairy called Cristal who shows her it is possible to recognize, become aware and deal with her emotions, treading a path of personal growth through the acceptance of the differences between people.

This way, Mimi is not only able to better deal with those emotions and adjust her responses, but also to help and enlighten her classmates.

The last chapter of the book, authored by the Psychologist Luana Herek, is meant for parents and teachers who, reflecting upon their own behavior and the ways they relate to others, may assist the children in doing the same.

Available on Amazon.com

In English: https://www.amazon.com/dp/B01MXUAK6D/ref=sr_1_5?ie=UTF8&qid=1480887539&sr=8-5&keywords=the+girl+and+the+magic+fountain

Grupos de Artepsicoterapia

Muitas pessoas ainda acreditam que terapia era para quem não tem capacidade de resolver os seus problemas e precisa de ajuda. Na verdade, a terapia é melhor aproveitada, quando buscamos esse processo como uma forma de nos desenvolvermos como pessoas para atingirmos um grau maior de satisfação em nossas vidas. Terapia é para quem não se acomoda ou se acostuma com as coisas.  É preciso ter coragem para enfrentar um processo psicoterapêutico, coragem de olhar para si mesmo. Como facilitadora nesse processo podemos usar a arte, ou melhor, nossa habilidade para realizar coisas criativas. A experiência com arte é uma forma de expressão que integra fantasia e realidade e com isso proporciona crescimento. É um instrumento que auxilia na conscientização de nosso padrão de funcionamento, e partir dessa percepção proporciona novas aprendizagens e mudanças. Os grupos são quinzenais com a duração de 2 horas cada encontro.  Informações: luana@artepsicoterpia.com.brlu2

Geração Y – GYPSI –

GYPSY

16/03/2016

Ontem um cliente comentou sobre a geração Y e a estória da Lucy, que traduzida para o português virou a estória da Ana. Achei muito interessante a descrição do que está acontecendo com a geração que nasceu entre 1970 e a metade dos anos 90.

No meu trabalho no consultório me deparo diariamente com o quanto as pessoas tem 2 vidas: uma real e uma de facebook/instagran.

Li os conselhos que o autor fornece para essa geração e fiquei com vontade de compartilhar. Segue abaixo:

“1) Continue ferozmente ambiciosa. O mundo atual está borbulhando de oportunidades para pessoas ambiciosas conseguirem sucesso e realização profissional. O caminho específico ainda pode estar incerto, mas ele vai se acertar com o tempo, apenas entre de cabeça em algo que você goste.

2) Pare de pensar que você é especial. O fato é que, neste momento, você não é especial. Você é outro jovem profissional inexperiente que não tem muito para oferecer ainda. Você pode se tornar especial trabalhando duro por bastante tempo.

3) Ignore todas as outras pessoas. Essa impressão de que o gramado do vizinho sempre é mais verde não é de hoje, mas no mundo da auto-afirmação via redes sociais em que vivemos, o gramado do vizinho parece um campo florido maravilhoso. A verdade é que todas as outras pessoas estão igualmente indecisas, duvidando de si mesmas, e frustradas, assim como você, e se você apenas se dedicar às suas coisas, você nunca terá razão pra invejar os outros.”

 

Referências:

Porque os jovens profissionais da geração Y estão infelizes

Fonte do texto em inglês: http://www.waitbutwhy.com/2013/09/why-generation-y-yuppies-are-unhappy.html

 

“Nossos Universitários sabem separar o Joio do Trigo?” – 26/09/2015

Depois de ver uma publicação no facebook, de uma universitária tratando um profissional, que conheço de longa data pela conduta duvidosa,  como um gênio, comecei a me perguntar quais os instrumentos que estamos fornecendo aos nossos jovens para que eles possam ter critérios para avaliar a competência de seus pares, professores, e do mundo em geral?

Percebo que muitas vezes o termômetro usado é a “aparência física” ou “ser legal”, se a pessoa é legal é um gênio.

Para Leandro Karnal, nem todo mundo que é simpático é competente, o picareta é muito cordato, ele tem que negociar com todo mundo, pois não tem nenhuma competência.

É preciso avaliar com muita clareza o que enxergamos nas pessoas que decidimos confiar e seguir, já que como registra Watzlawick, a engenhosidade de muitos que são chamados de gênio pode ser nada além de incapacidade de compreender a complexidade de uma situação, ou um desprezo pelos direitos dos outros.

Ask for more! – 03/08/2015

 

Esse foi um dos grandes aprendizados que tive na Eslovênia durante o 44ª Treinamento da GATLA agora em Julho. Ir mais fundo, perguntar mais, desafiar o outro e a si mesmo! Como seres humanos precisamos de segurança, de coisas familiares para nos sentirmos confortáveis, mas ao mesmo tempo, também precisamos de desafios, do novo. A introdução do novo amplia nossas perspectivas e cria novas configurações do todo, fazendo com que possamos perceber coisas que antes não estavam disponíveis.

Vá um pouco além! 14/07/2015

Fiquei impressionada com a visita que fiz a caverna de Postojna perto de Lubiana, e também com a história sobre sua descoberta!

A parte mais próxima a entrada da caverna certamente forneceu abrigo para as pessoas desde os tempos pré-históricos. As assinaturas nas paredes da “passagem das assinaturas antigas” mostram claramente que os visitantes as fizeram nessa parte da caverna no século 13 se não antes.

Entretanto, todos pensavam que a caverna não ia além de um ponto não muito distante da abertura. Em 1818, Luka CEC, que era na época um iluminador da caverna, em função de uma visita oficial, decidiu iluminar um pouco mais a caverna e decidiu escalar a pedra, que se acreditava ser o fim da caverna, e colocar luz naquele lugar. Quando ele acendeu a iluminação percebeu que a caverna continuava muito além daquele ponto, e no mesmo dia, descobriu 5 km da caverna, que tem 24 km em tuneis. Ele estabeleceu uma base para o turismo na caverna.

É a caverna mais famosa da Eslovênia, e a maior nessa região aberta ao público.

Tudo porque ele decidiu ir um pouco além! Aprendendo a correr mais riscos!

 

Pessoas e Histórias 11/jul/2015

Sempre que viajo sozinha me lembro porque gosto tanto disso: pessoas e histórias. Ontem ao chegar em Lubiana dividi um taxi com uma amiga, que encontrei no avião, do aeroporto ao hotel, e o nosso taxista compartilhou conosco sua história de mudança e renovação.

A conversa começou quando revelamos que estávamos em Lubiana para um treinamento em psicoterapia. Ele disse que as vezes todos precisamos de um psicólogo. Contou que depois de trabalhar por 28 anos dirigindo um taxi, achou que já podia se aposentar, mas descobriu que era muito novo. Ele fará 48 anos em Agosto. Mas estava insatisfeito, e conversou com alguém que lhe disse: o problema pode não estar em volta e sim em você.

Depois de criar 3 filhos, sempre trabalhando muito, resolveu se perguntar o que mais gostava de fazer, o que poderia acordá-lo. Sempre gostou de corridas de carro, e passou a participar. Em Março descobriu que estava acima do peso para competir, pois além de gostar muito de correr, disse que sua motivação é ganhar, ele não participa para chegar em segundo. Começou uma super dieta combinada exercícios e em junho havia perdido 18 kg sendo novamente campeão em sua categoria. Falou que tudo isso começou a partir do momento em que ele decidiu que chegou o momento de ter tempo para ele.

Está feliz da vida e orgulhosos de si mesmo! Pensando em novos desafios como pilotar aviões.

Parece que a década dos 40 é quando decidimos que é tempo de ter tempo para nós mesmos!